segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Pertencemos a Cristo - I

Ao escrever sua carta aos cristãos em Roma, Paulo destaca o fato de terem sido chamados para serem de Cristo, Romanos 1.6.

Todos pertencemos a Cristo, considerando que Ele é Deus. Somos d’Ele por direito de criação e por direito de redenção. Uma ortodoxa distinção informa que nem todos são filhos de Deus. E argumenta: filho de Deus é quem crê em Jesus como Salvador, tendo como pano de fundo o que está em João 1.12, que registra: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome”.

Sem querer descobrir chifre em cabeça de cavalo, o fato é que o ser humano, coroa da criação, não pode ser criatura como qualquer outra, um animal irracional, por exemplo. Da pena do mesmo Paulo, lemos: “Se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo” - II Coríntios 5.17. Paulo não diz que “se alguém está em Cristo, é filho de Deus”, mas que é nova criatura, ou nova criação.

Uma tendência é concluir que pertencer a Cristo é mérito humano, como se fosse favor que se faz a Deus, pertencer a Ele. Pertencer a Cristo é muito mais obra d’Ele do que nossa. Fomos comprados, resgatados.

O desafio dos cristãos é viver como filhos de Deus.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017